Cosme e Damião: Entenda a história da celebração

Na sacola balas, pirulitos, suspiros, bananada e as mais diversas guloseimas para as crianças. Essa é uma típica imagem nesta época do ano, em que se comemora o Dia de Cosme e Damião.

 Mas qual a razão de distribuir doces no dia de são Cosme e Damião?

A tradicional festividade tem como base distribuir doces e brinquedos às crianças nas ruas, unindo pessoas e grupos religiosos preocupados em manter vivo o antigo costume, em homenagem aos Orixás e às Entidades.

Tanto no Candomblé quanto na Umbanda, para homenagear esses Orixás e/ou  Entidades que se apresentam em forma de crianças são ofertados doces. Assim, muitas pessoas dão doces como forma de pagar promessas feitas; de agradecer alguma graça alcançada ou de simplesmente demonstrar sua devoção aos Orixás e/ou às Entidades. Com o passar do tempo, essa tradição foi sendo replicada até mesmo pelos católicos apesar de ela não ter qualquer fundamento nessa religião, já que os santos gêmeos não eram crianças.E vale pontuar também que, acontece em virtude do sincretismo religioso existente entre os santos católicos Cosme e Damião, irmãos gêmeos, e os Orixás Ibejis, que também são gêmeos, cultuados nas religiões de matriz afro-brasileira.

Vale ressaltar que, tanto os Ibejis, quanto os Erês e as Crianças, diferentemente dos santos católicos, são representados de forma infantil, como crianças e, por isso, para homenageá-los, são oferecidos doces, especialmente no dia 27 de setembro, popularmente consagrado a Cosme e Damião e no qual muitos  terreiros fazem celebrações .

Para os católicos, a celebração é no dia 26, e para o candomblé e a umbanda, no dia 27.

Quem eram Cosme e Damião?

Cosme e Damião eram irmãos gêmeos, que viveram mais ou menos onde hoje fica a Turquia. Foram médicos cristãos, que se recusavam a receber qualquer tipo de pagamento pelo seu trabalho. Além dos conhecimentos de medicina, eles também se valiam de orações que faziam milagres ,curando os doentes em nome de Jesus. Ganharam notoriedade por sua postura e por esses milagres atribuídos a eles e converteram muitas pessoas à crença cristã.

Em virtude de sua fé, foram perseguidos e presos, mas, mesmo sob tortura mantiveram suas convicções e sua fé. A lenda conta ainda que nada do que foi tentado contra eles os feria ou perturbava – nem fogo, nem água, nem a cruz! – por fim, eles foram decapitados no dia 27 setembro, aproximadamente no 300 d.C.

Por que existe o preconceito na distribuição de doces para as crianças?

De acordo com , Rogério Toscano, Subcomandante Chefe de Terreiro ,do Cantinho de Cosme e Damião , existe preconceito por racismo e discriminação de classe.Torna-se mais evidente o racismo religioso neste sentido. Ele ainda pontua que, o fundamento cultural de dar doces vem das religiões de matriz afro-brasileira. E então, as mesmas forças na sociedade  associando aos negros adjetivos pejorativos como inferior, incapaz, subalterno, selvagem, influenciam a visão de muitas pessoas fazendo com que associem as religiões com forte influência negra a “coisas do demônio”, à “feitiçaria”.

“Infelizmente, muitas denominações neopentecostais, supostamente cristãs, se aproveitaram do racismo estranhado em nossa sociedade para demonizar as religiões de matriz afro-brasileira e, assim, conseguir mais adeptos”,afirma Rogério.

Por Emanuelle Ramos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *